Trem dos Vales organiza terceira edição de passeios

No segundo semestre de 2021, a região recebe novamente um dos seus projetos mais audaciosos no segmento do turismo

O Trem dos Vales, que passa pela Ferrovia do Trigo, terá novos passeios e se firma como um dos roteiros mais bonitos do Brasil. A solenidade de lançamento dos percursos para este ano será no dia 2 de julho, às 15h, em Guaporé. O projeto é uma iniciativa da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF), em parceria com a Associação dos Municípios de Turismo da Região dos Vales (Amturvales), que representa os municípios Colinas, Dois Lajeados, Estrela, Guaporé, Muçum, Roca Sales e Vespasiano Corrêa, e conta com o apoio e cooperação da Rumo Logística.

O Trem dos Vales é uma iniciativa planejada há mais de 20 anos e que saiu do papel em 2018. Em dezembro daquele ano, foram realizadas viagens para convidados e imprensa. Mas a grande experiência foi em 2019: em dois fins de semana, entre os meses de agosto e setembro, foram realizados oito passeios, entre Muçum e Guaporé, reunindo mais de 5 mil pessoas.

Em 2020, na segunda edição do projeto, mais passeios e mais público: quase 8 mil pessoas participaram das cerca de 12 viagens entre Colinas e Roca Sales, pela Ferrovia Tronco Principal Sul, e 22 passeios entre Muçum e Guaporé, pela Ferrovia do Trigo. O público só não foi superior em função da pandemia. Por conta disso, houve apenas 50% de ocupação nos vagões.

Para 2021, a expectativa é realizar mais de 30 passeios nos meses de novembro, dezembro e janeiro, no trajeto entre Muçum e Guaporé, com a possibilidade de transportar mais de 20 mil turistas.

 

Impacto para a região

Conforme o coordenador do Trem dos Vales, Rafael Fontana, o projeto vem, a cada ano, consolidando-se como um excelente atrativo turístico para a região. Integrando roteiros turísticos, pontos de alimentação, serviços de acomodação e alojamento, além de visitação, atraindo milhares de turistas.

Um indicativo da movimentação que o projeto traz para a região é o volume de turistas que vêm de fora. Das mais de 5 mil pessoas que participaram dos passeios em 2019, 60% eram de outras regiões do estado e país. “Isso demonstra o potencial que o trem tem como integração do Vale. Ele atrai visitantes para a região que aproveitam para desfrutar dos nossos serviços turísticos. Ou seja, ao mesmo tempo que fazem passeios de trem, eles também vão a restaurantes, pousadas, parques, cafés”, destaca.

Na avaliação do presidente da Amturvales, Leandro Arenhart, o Trem dos Vales foi o produto que chamou atenção para o potencial turístico da região. “Recebemos muitos visitantes de fora e todo o trade turístico do Vale do Taquari se favoreceu”, afirma Arenhart. O presidente da Amturvales lembra que os novos passeios, que se estenderão por quase dois meses e meio entre novembro de 2021 e janeiro de 2022, irão, novamente, movimentar a região. “Até lá, teremos ainda outras atrações, como o Cristo Protetor, em Encantado, e os turistas poderão ficar mais dias no nosso Vale, conhecendo tudo o que temos a oferecer”, destaca o presidente.

Para a ABPF, o passeio na Ferrovia do Trigo também criou um produto novo, que surpreende pelo seu potencial. “Ele representa um divisor de águas. Passamos a operar nosso trem em um novo patamar de produto, aprendendo com a região e mostrando uma das mais icônicas ferrovias do Brasil”, destaca o vice-presidente da ABPF, Marlon Ilg.

 

História

Em 1995, o presidente da Amturvales era o ex-prefeito de Encantado, Adroaldo Conzatti, falecido em março deste ano. Naquela década, já começou a movimentação para organizar um passeio turístico no Vale. Em 1998, o Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat) também traçou um plano estratégico, que voltou a tratar da proposta de um trem turístico para a região.

A retomada do assunto ocorreu na gestão de Rafael Fontana na presidência da Amturvales, que vigorou até o início de 2019. A insistência no projeto permitiu que os passeios pudessem ser realizados em 2019 e 2020 e que estejam prestes a ocorrer em 2021 novamente.

 

O que há para ver sobre trilhos

Os passageiros que fazem o trajeto entre Muçum a Guaporé, passando por Vespasiano Corrêa, pela Ferrovia do Trigo, são brindados com uma paisagem exuberante, com vegetação e cascatas, que compõem cenários de beleza única. O passeio apresenta aos turistas 21 túneis e 17 viadutos, entre eles, o V-13 (considerado o maior da América do Sul, com 143 metros de altura e 509 metros de extensão), em Vespasiano Corrêa. Também os viadutos Pesseguinho e Mula Preta, em Dois Lajeados. O trajeto tem 46 quilômetros e a duração do percurso é de 2 horas e 30 minutos.
A Ferrovia do Trigo, inteira, possui 289 quilômetros de trilhos e demorou 67 anos para ficar pronta. Montanhas tiveram que ser perfuradas e se transformaram em galerias. As encostas estão terraplanadas e as dezenas de viadutos conectam um penhasco a outro.

Já o trajeto entre Colinas e Roca Sales, revela belas paisagens dos morros e do Rio Taquari, passagem por túneis, além de vistas rurais e urbanas das cidades. O passeio tem 17 quilômetros pelos trilhos da Ferrovia Tronco Principal Sul, inaugurada em 1957, num percurso de cerca de uma hora. Nos passeios de 2020, músicos divertiram o público, com cantorias das culturas alemã e italiana. Nas estações, houve comercialização de artesanato, café da colonial e produtos das agroindústrias familiares.

Tal realidade, somente é possível, pois existe uma união permanente entre os municípios que fazem parte do projeto, Colinas, Dois Lajeados, Estrela, Guaporé, Muçum, Roca Sales e Vespasiano Corrêa, associados da Amturvales que lidera o processo juntamente com a ABPF, que possui experiência no transporte de passageiros, além da imprescindível parceria e cooperação da Rumo Logística na viabilidade dos passeios.

Previous Trem dos Vales poderá ter novas datas para 2021

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Atendimento

Responderemos urgentemente